Como Funciona o Resfriamento do Couro Cabeludo

O dano que a quimioterapia causa ao folículo capilar pode ser aliviado pelo resfriamento do couro cabeludo..


couro cabeludo
Reduzindo-se alguns graus da sua temperatura imediatamente antes, durante e após a administração da quimioterapia.

Isto, por sua vez, reduz o fluxo sanguíneo aos folículos capilares, o que pode prevenir ou minimizar a queda de cabelo.

O resfriamento causa a vasoconstrição, que demonstrou a redução do fluxo sanguíneo no couro cabeludo em 20-40% do normal resultando em menor entrega de drogas quimioterápicas nos folículos capilares.
celulas
A taxa de difusão da droga através da membrana plasmática é reduzida ao ser resfriada e, assim, menores doses efetivas da droga conseguirão entrar nas células.

A divisão celular é orientada pelo metabolismo, cujo processo é desacelerado pelo resfriamento.
A diminuição da atividade metabólica das células no folículo capilar, também pode causar uma redução na citotoxicidade das drogas quimioterápicas localizadas no couro cabeludo.

Alguns medicamentos de quimioterapia são mais propensos do que outros para causar a perda de cabelo. Pergunte ao seu médico sobre a possibilidade de perda de cabelo antes de iniciar o seu tratamento, então você estará preparado e saberá o que você pode esperar. 

O que é Resfriamento do Couro Cabeludo?

O que é Resfriamento do Couro Cabeludo?



O Resfriamento do couro cabeludo é um tratamento simples que pode prevenir a queda de cabelo causada por certas drogas quimioterápicas.

resfriamento capilar
resfriamento

O uso do resfriamento do couro cabeludo provou ser uma técnica eficaz no combate à queda de cabelo causada
pela quimioterapia e pode resultar no alto nivel de retenção ou na preservação completa do cabelo. 



Para pacientes, isso significa a oportunidade de recuperar algum controle, manter sua privacidade e encorajar atitudes positivas para o tratamento. 

Como Lidar com a Fadiga

POST-fadigaA fadiga derivada do câncer é uma sensação persistente de cansaço emocional, físico ou mental. É diferente de exaustão por falta de descanso e não melhora após uma boa noite de sono. A maioria das pessoas em tratamento de câncer sofrem com isso, mesmo após alguns meses.

A fadiga afeta o bem estar do paciente em diversos níveis. Ela pode influenciar as atividades diárias, as relações, o humor, as emoções, a performance no trabalho e até a postura a respeito do tratamento e do futuro.

Por isso, deve ser diagnosticada e tratada assim que possível. Para isso, é preciso identificar sua causa.

Dor: Se estiver relacionada a uma dor, geralmente consequência da doença ou do tratamento, é preciso cuidar da dor. Muitos medicamentos também causam cansaço físico e sonolência,

Então é importante conversar com seu (sua) médico(a) sobre isso para que ele(a) encontre uma solução.

 Depressão, ansiedade ou estresse: O diagnóstico do câncer o o período do tratamento podem provocar essas sensações, que podem acarretar em fadiga.

Tratar desses efeitos costuma fazer uma grande diferença no cansaço dos pacientes.

Sono: Dores, estresse e preocupação podem afetar o sono do paciente e impedí-lo de dormir. Isso também pode ser causado por determinados medicamentos. Dormir por mais horas à noite ou tirar cochilos ao longo do dia podem ajudar a diminuir o cansaço.

Anemia: Redução do número de góbulos vermelhos saudáveis é comum em pacientes com câncer. A condição pode ser agravada com uma dieta carente em ferro. O tratamento pode incluir suplementos, transfusões e uma dieta nutritiva.

Carência de vitaminas e nutrientes: uma alimentação balanceada é essencial para quem está em tratamento de um câncer.
Se necessário, consulte um nutricionista para montar uma dieta que atenda às suas necessidades e limitações.

Procure seu médico caso sinta algum sintoma mencionado acima. 

Para vencer: Quimioterapia

Captura de Tela 2015-08-24 às 00.33.45✅ Faça um check-up completo da boca antes de iniciar o tratamento. ✅ Em algumas quimioterapia os cabelos podem cair total ou parcialmente. Prepare-se adquirindo lenços, perucas ou chapéus, antes que os fiozinhos comecem a cair. ✅ Consuma alimentos de fácil digestão e converse com o seu(ua) oncologista sobre a necessidade de remédios para enjoo. ✅ As suas veias poderão parecer mais escuras. Mas não se preocupe, assim que terminar o tratamento tudo volta ao normal ✅ As unhas tendem a ficar extremamente frágeis durante o tratamento quimioterápico. É importante mantê-las saudáveis, limpas e aparadas. ✅ A principal arma para amenizar a descamação da pele é usar um hidratante diário neutro que tenha em sua composição ureia.

O que é Mucosite?

Dor-de-denteÉ uma das complicações bucais mais comuns do tratamento oncológico, pode acontecer com a quimioterapia e a radioterapia. A mucosite é uma inflamação parte interna da boca e da garganta que pode levar a um desconforto intenso, comprometimento da mastigação, da deglutição e da fala. ➡️ Os cuidados adequados com a higiene oral são fundamentais. ✅  Escovar os dentes com pasta contendo flúor. ✅  Passar fio dental suavemente. ✅   Fazer gargarejos com bicarbonato de sódio. ✅   Remover a dentadura. ✅   Escolher alimentos que exijam pouca ou nenhuma mastigação. ✅   Evitar alimentos ácidos, picantes, salgados e secos. ✅   O Laser é uma tecnologia que pode ser empregada na prevenção e no tratamento e na prevenção da mucosite.

O que é Neuropatia Periférica ?

neupopatia e cancer - face - junhoA dor neuropática, ou “dor dos nervos”, que costuma aparecer mais frequentemente em pacientes com diabetes, infecção por HIV ou herpes zoster, é frequentemente relatada após a quimioterapia. Algumas quimioterapias (não todas), em doses cumulativas, podem causar danos temporários ou permanentes às fibras nervosas. Exemplos delas são a Oxaliplatina (usada para câncer de colon) e Paclitaxel (usado para câncer de ovário e mama). Os sintomas mais comuns incluem dormência, dificuldades com as habilidades motoras, diminuição da sensação vibratória e da força muscular. O tratamento da dor neuropática é multimodal, ou seja, várias modalidades terapêuticas são utilizadas para controlar a dor, incluindo tratamentos farmacológicos como o uso de drogas que são agentes anti-convulsivantes e ainda não-farmacológicos.

O que é Terapia Alvo?

Drogas AlvoNas células humanas existem diversas proteínas/moléculas com a função de manter a proliferação celular. Tais compostos formam vias interligadas que quando ativadas podem levar a proliferação celular. Nas células malignas estas  cascatas são ativadas de maneira caótica levando a proliferação celular desordenada. Atacar estas moléculas é o objetivo da chamada terapia-alvo molecular. Na terapia-alvo, empregamos anticorpos e outras moléculas capazes de inibir a transmissão desses sinais, de modo a bloquear a multiplicação das células malignas.00007749_001 Essa é uma das áreas mais promissoras do tratamento do câncer. Muitas drogas deste tipo já estão disponíveis, enquanto outras estão em fase de testes clínicos para avaliação de eficácia. A terapia-alvo é considerada uma medida terapêutica que veio revolucionar o tratamento do câncer. Hoje, a procura por um alvo específico que possa ser atingido por um determinado medicamento é a principal base da terapia contra os mais diversos tipos de câncer. Utilizar a medicação que foi especificamente “desenhada” para aquele tipo de câncer, eleva a precisão do tratamento com melhores resultados e menos efeitos colaterais. Captura de Tela 2015-06-30 às 22.37.41

Efeitos Colaterais da Quimioterapia

IMG_1455 Embora seja um tratamento eficaz para muitos tipos de câncer, a quimioterapia, pode causar efeitos colaterais. Os tipos e a intensidade dos efeitos colaterais variam de pessoa para pessoa e da droga empregada. A escolha da quimioterapia ideal varia de acordo com o diagnóstico. Os efeitos colaterais mais comuns da quimioterapia são: Fadiga; Feridas na boca; Diarréia; Náuseas; Vômitos e Constipação. Nem toda a quimioterapia leva a queda de cabelo.Atualmente a maioria desses sintomas são muito bem manejados com uso de medicações e terapias complementares.