Açúcar e Câncer

 

Existe relação entre o açúcar e câncer?

 
Todas células, cancerígenas ou não, utilizam a glicose como fonte de energia, ou seja, todas são “alimentadas” por este açúcar. A glicose é tão importante para o funcionamento do organismo que este tem uma série de estratégias para manter os níveis de açúcar no sangue (glicemia) normais.
 
açúcar e câncer
A glicose é um nutriente obtido a partir dos carboidratos encontrados em alimentos como doces, frutas, cereais, arroz, milho, farinha, macarrão, pão e em vegetais que contêm fécula como batata, mandioca ou inhame.
 
Além da origem alimentar, essa energia pode ser fornecida às células através da produção pelo próprio organismo, a partir da proteína, quando não se incluem hidratos de carbono na dieta.
 
Muitos doentes oncológicos evitam os carboidratos, pois pensam que o açúcar pode promover o crescimento das células cancerígenas. Essa atitude é contraproducente, quando se pretende a manutenção de um adequado estado nutricional e quando se está perante os efeitos secundários do cancer e dos tratamentos. A própria eliminação dos carboidratos da alimentação é geradora de stresse, o que proporciona a ativação de mecanismos que aumentam a produção de hormônios que podem elevar a glicemia e prejudicar a função imunitária.

Então por que existe esse boato?

A relação entre açúcar e cancer surge por via indireta. O consumo de grandes quantidades de alimentos ricos em açúcar pode significar uma dieta excessiva em calorias, favorecendo o aparecimento de excesso de peso/obesidade. É esse excesso de gordura que se relaciona com o aumento considerável do risco de diversos tipos de cancer.
 
Outro fator que pode ter contribuído, foram dados de estudos de dietas cetogênicas (dietas com menos de 20g de carboidrato por dia)  em casos de tumores cerebrais. Contudo, os estudos estão em andamento e ainda não há conclusões suficientes suscetíveis de considerar este tipo de dietas como adequadas em oncologia, até porque também apresentam desvantagens (sabor, aceitabilidade, possível perda de peso).
 
A alimentação do doente oncológico deve ser baseada nos princípios de uma alimentação saudável, ou seja, equilibrada, variada e completa. Além disso, a atividade física tem um importante papel na estabilização dos níveis de açúcar sanguíneos, devendo a sua prática e continuidade ser incentivada.
 

Glicose – Nossa fonte de energia!


Procurar na internet o termo “açúcar e câncer” nos leva a textos com frases como “açúcar alimenta o câncer”ou “açúcar principal comida do câncer”.
 
A idéia do açúcar ser o combustível das células cancerosas é uma maneira extremamente simplista de explicar uma biologia celular complexa.
 
Para começar temos que entender o que é realmente o açúcar.
O açúcar vem de diferentes formas. A forma molecular mais simples é a glicose e a frutose. Essas moléculas simples podem se juntar e formar as moléculas que chamamos de carboidratos. Os carboidratos são nossa principal fonte de energia.
 
A forma que conhecemos o açúcar, é formado por cristais de glicose e frutose. O açúcar branco que conhecemos e uma das formas mais simples dos carboidratos. Este açúcar é refinado, ou seja ele é processado de sua fonte natural. No refinamento, aditivos tornam o produto branco e delicioso. O lado ruim é que esse processo retira vitaminas e sais mineirais, deixando apenas as “calorias vazias” (sem nutrientes). Alimentos não processados também podem ser ricos em açúcar como o mel.
 
Os polisacarídeos são compostos que possuem varias cadeias de glicose unidos. Alimentos como arroz, macarrão, pão, vegetais como batata, podem não ser doce mais são ricos em açúcar. Estes são carboidratos mais complexos.
 
A glicose é o combustível essencial de todas as nossas células. Se bebemos ou comermos alimentos ricos em carboidratos simples como o açúcar este vira glicose cai no sangue e pode ser usado diretamente por todas as nossas células como fonte de energia. Porem se comermos carboidratos mais complexos como massa ou pão, as enzimas do nosso sistema digestivo irão quebrar esses alimentos em moléculas de glicose que irão ser absorvidas pelo sangue e usadas como fonte de energia de forma mais lenta que o açúcar.

E se pararmos de comer carboidrato?

Se não comermos carboidratos, o nosso organismo vai dar um jeito de quebrar gordura e proteína para formar glicose. Nossas células precisam de glicose para viver!
 

Açúcar e Câncer:

açúcar e cancer
As células do câncer podem se multiplicar mais rápido se usarmos uma grande quantidade de energia como açúcar?
As células do câncer para se multiplicarem elas precisam de muitos fatores além do açúcar  estímulos hormonais, aminoácidos, gorduras e oxigênio. Não é só de glicose que ela precisa. 
 
O mito do açúcar e o câncer nasceu da hipótese de se cortarmos todo o açúcar da dieta as células do câncer parariam de crescer. Infelizmente não é tão simples. Todas as nossas células saudáveis, precisam de glicose também, e não existe maneira de dizermos ao nosso corpo de entregar apenas a glicose as células normais e não entregar as células do câncer.
 
Seguir dietas extremamente restritivas em carboidratos pode atrapalhar nossa saúde à longo prazo. Eliminar esses alimentos pode ser prejudicial, pois eles são importantes fontes de fibras e vitaminas.
 
Então se o açúcar não causa cancer porque temos que nos preocupar?
Cortar o açúcar da dieta não ajuda a tratar o câncer, e o açúcar não leva diretamente ao câncer. Então, por que devemos desencorajar as pessoas a usarem o açúcar como principal fonte de energia? 
 
Porque de forma indireta o açúcar pode aumentar o risco de câncer. Comer muito açúcar durante muito tempo pode levar ao sobrepeso. Evidências científicas mostram que o sobrepeso ou obesidade aumenta o risco de 13 tipos diferentes de câncer. A obesidade após o tabagismo é a segunda maior causa evitável de câncer.
 
A mensagem que devemos levar para casa é que banir o açúcar não vai impedir a replicação das células cancerosas. Porém, podemos reduzir o risco de câncer com escolhas saudáveis. Diminuir a quantidade de açúcar na dieta é um fator importante para mantermos um peso saudável durante toda nossa vida.

Alimentação durante e após o tratamento

T_0217_eating-healthily_179013608_AAlimentação:
É importante que pacientes com câncer mantenham um peso saudável e tenham uma alimentação nutritiva. No entanto, os efeitos colaterais dos tratamentos podem incluir alterações no apetite e perda ou ganho de peso. Para evitar que isso prejudique a saúde, é preciso seguir algumas recomendações:
 
  • Fique de olho no peso: perda excessiva de peso pode significar que seu corpo não está recebendo os nutrientes e as calorias que precisa para se recuperar da doença e funcionar perfeitamente. Sobrepeso e obesidade também comprometem a saúde e devem ser evitados.
  • Preste atenção aos nutrientes: seu corpo precisa estar o mais saudável possível, então uma alimentação balanceada é essencial e deve incluir proteínas, carboidratos, gorduras, fibras e água. Consulte um nutricionista sobre a eventual necessidade de suplementos.
  • Mantenha-se ativo(a): atividades físicas leves, como caminhadas, são indicadas para evitar perdas musculares e ganho de gordura corporal (mesmo que não alterem o peso).
  • Faça pequenas refeições ao longo de todo o dia, ao invés de poucas refeições grandes. Certifique-se de que está ingerindo as calorias necessárias.
  • Alguns alimentos podem parecer sem sabor ou enjoativos durante esse período, causando sensibilidade no estômago. Converse com um nutricionista sobre as possíveis substituições.
  • Atente-se a alguns detalhes: lave bem as mãos e os alimentos; armazene adequadamente as sobras e os ingredientes; evite alimentos pesados e de difícil digestão.

Vasilhas de plástico e câncer, existe alguma relação?

Utilizar vasilhas de plástico para esquentar alimentos no microondas pode aumenta o risco de câncer?

NÃO!! Este mito vem do fato de que vários materiais como madeira, metais, plásticos quando levados a combustão produzem substâncias chamadas dioxinas. As dioxinas podem estar relacionada a doenças na pele, fígado e o câncer.

Não existe Dioxina nas vasilhas de plásticos!  Para que uma vasilha de plástico produza dioxina ela deve ser incinerada!

Nao existe comprovação cientifica que o uso de utensílios de plásticos mesmo no microondas aumentem o risco para o desenvolvimento do cancer.

Perguntas e Respostas:
Todos os alimentos que são esquentados no plástico não são recomendados ou existem exceções?

Nao existe restrição em quanto aos alimentos. Existem alguns plásticos que não são feitos para microondas e estes em altas temperaturas podem liberar substancias como ftalatos. Estudos em animais sugerem que ftalatos podem levar alterações relacionadas a fertilidade. Por isso é importante ficar atento na embalagem e usar apenas utensílios próprios para microondas.

Muitas vasilhas na indústria são vendidas como sendo “fabricada” para ir ao microondas, isso é verdade, a população pode confiar nessas que a propaganda é para esse fim ou melhor evitar?

Para que o utensílio seja vendido com este selo ele deve ser testado. Logo procure comprar marcas que tenham sido avaliadas e aprovadas pelo INMETRO.

O melhor mesmo para se utilizar são utensílios de vidro ou louça, ou mais algum não é recomendado?

Se você está cozinhando com plástico ou usa utensílios de plásticos, a melhor coisa a fazer é seguir as instruções e apenas usar plásticos que são especificamente destinados para cozinhar. Recipientes inertes são os melhores, por exemplo, vidro resistente ao calor, cerâmica, aço inoxidável.

Tomar café aumenta o risco de câncer?

POSTO14O café é uma das bebidas mais populares do mundo, e é a forma como muitos de nós escolhemos para impulsionar o nosso dia.

A agência internacional de pesquisa em câncer (IARC) concluiu recentemente que o café não aumenta o risco de câncer, como foi sugerido anteriormente, e ainda sugeriu que pode ate diminuir o risco de alguns tumores, em particular o câncer do fígado e utero.

Estes dados surgiram após uma revisão abrangente das evidências, abrangendo cerca de 1000 estudos. (o resumo do estudo esta na Lancet Oncology). Então, se você já bebe café regularmente, esta notícia é interessante!

E quem nao toma? A evidência dos estudos ainda é incerta e o benefício pode ser pouco significativo.

A importância da vitamina B12

POSTO4Para que serve a Vitamina B12?

A vitamina B12 é essencial para o funcionamento correto de todas as células do organismo, especialmente aquelas do trato gastrointestinal, tecido nervoso e medula óssea.

Sua carência pode levar a anemia, fraqueza, déficit de memória, depressão e muitas outras manifestações neurológicas e psiquiátricas. Para evitar esse quadro, é importante consumir alimentos ricos nessa vitamina, como carne, peixe, leite, queijo e ovos. É importante lembrar que ela só está presente em produtos derivados de animais.

A dosagem sanguínea da vitamina B12 é indicada para pessoas veganas e alcoólatras. Além dessas, outras causas de dificiência de vitamina B12 são gastrite, tumores gástricos, cirurgia bariátrica, uso crônico de antiácidos, omeprazol e metformina.

Carne processada e câncer de intestino?

OMS coloca bacon, linguiça e salsicha na lista de alimentos cancerígenos

De acordo com relatório divulgado hoje pela Organização Mundial da Saúde (OMS): Comer carnes processadas pode aumentar o risco de câncer colorretal.

Depois de uma profunda revisão da literatura científica, um grupo de trabalho formado por 22 especialistas de 10 países reunidos pelo Programa de Monografias IARC classificou o consumo de Carne Vermelha como provavelmente cancerígeno para os seres humanos (Grupo 2A – evidencia cientifica limitada). Esta associação foi observada principalmente para câncer colorretal, mas as associações também foram vistas para câncer de pâncreas e câncer de próstata.

Já as Carnes Processadas foram classificadas como Grupo 1, ou seja apresentam evidencia cientifica suficiente que seu consumo em humanos pode causar cancer colorectal (cancer de intestino).  A OMS colocou estes alimentos na mesma categoria do cigarro e amianto. As carnes processadas incluem salsichas, bacon, presunto e frios.

Substâncias cancerígenas, como os nitratos, se formam quando estas carnes são preservadas. Estas substâncias podem danificar o DNA de uma pessoa e aumentando seu risco de câncer.

Segundo a OMS, comer 50 gramas de carne processada por dia aumenta o risco de câncer colorretal em 18%. Cerca de duas fatias de presunto é igual a 50 gramas.

Cortar a carne processada de sua dieta é uma maneira de reduzir o risco de câncer colorretal. Casos de câncer colorretal são esperados para aumentar nos próximos anos, especialmente em pacientes mais jovens. Em 2030, é esperado um aumento dos casos de câncer de cólon são em 90%. E casos de câncer retal em 124% em pacientes com 35 anos ou mais jovens.

Como evitar carnes processadas e carne vermelha:

Então, como você sabe se está comprando carne processada? Leia o rótulo e verifique se há palavras como nitrato, nitrito, curadas ou salgadas. Isto significa que é uma carne processada.

Especialistas recomendam uma dieta baseada em vegetais. Isso significa que dois terços do seu prato deve ser baseado em frutas e legumes. É importante também ter uma dieta rica em fibras.

Em vez de comer carne vermelha ou processada, tente estas opções de proteína saudáveis:

  • Proteínas vegetais, como feijões, legumes e soja
  • Frango fresco
  • Peixe
  • Laticínios com pouca gordura
  • Ovos

Se você optar por comer carne vermelha, comer não mais de 500 gramas de carne vermelha por semana.

As carnes processadas podem aumentar o risco. Isso não quer dizer, que as pessoas que não estão expostas a esses fatores não vão ter câncer. Por isso, o mais importante é o diagnóstico precoce e a realização da colonoscopia após os 50 anos. Leiam aqui no Blog: Colonoscopia o Exame que Salva Vidas!!!

Link relatório OMS: IARC Monographs evaluate consumption of red meat and processed meat

Frutas cítricas e câncer

As frutas cítricas são ricas em psoraleno,  um composto “parente” de produtos naturais conhecidos como furocumarinas. Esta substancia quando ingerida aumenta a sensibilidade da pele aos raios ultravioleta. Estudos experimentais evidenciaram que o psoraleno e as furocumarinas em conjunto com o ultravioleta levaram a um aumento de tumores melanocíticos em ratos e em pessoas que fizeram tratamento prolongado para psoríase severa.

A partir desses estudos experimentais o Dr Shaowei WU da  Brown University desenhou um grande estudo que avaliou o consumo de frutas cítricas e o risco de câncer em 63.810 pessoas de 1984 a 2010. Nesse estudo foi  demonstrado em pessoas brancas que consumiam todos os dias  uma grande quantidade de toranjas (grapefruit) ou suco de laranja,  um risco pequeno porem aumentado para melanoma maligno. O risco foi maior para o consumo de toranja do que para a laranja.

Este é um estudo potencialmente importante porque o consumo de citrinos é rico na nossa dieta. As frutas cítricas apresentam outros benefícios, como exemplo nas doenças cardíacas coronarianas e suplementação de vitamina C. O resultado desse estudo, não significa que o consumo de citrinos é prejudicial. Em vez disso, as pessoas que consomem grandes quantidades de frutas cítricas devem tomar precauções extras durante a exposição à luz solar, como o uso de protetor solar com alto fator de proteção (FPS).

Existe uma clara necessidade de replicação dos resultados do estudo em uma população diferente (nesse estudo só foram usados profissionais de saúde) antes da modificação do aconselhamento dietético atual para o público.

Referencia do Estudo: Citrus Consumption and Risk of Cutaneous Malignant Melanoma