O que é Hiperplasia Atípica da Mama ?

1A hiperplasia acontece quando as células crescem de forma não usual, É uma alteração benigna, que pode atingir várias partes do corpo, como as mamas. Quando isso acontece é chamado de hiperplasia da mama, que pode ser ductal ou lobular. A Hiperplasia atípica ocorre quando esse crescimento nao usual é mais intenso.

Ainda não há fatores estabelecidos, mas algumas mulheres, durante o processo natural de envelhecimento, desenvolvem a hiperplasia mamária quando células normais crescem dentro do tecido mamário, em tamanho e número. A hiperplasia pode atingir tanto os ductos (Hiperplasia Ductal) quanto os lóbulos (Hiperplasia Lobular).
 
 
 
Hiperplasia Atípica
 

Existem sintomas?⠀

Normalmente, a mulher não apresenta sintomas da hiperplasia, que geralmente é diagnosticada em exames preventivos de rotina.
 

stethoscopeUma vez que o médico detecta uma hiperplasia atípica nas mamas, o cuidado deve ser redobrado. Muitas vezes se sugere ampliação cirúrgica da área diagnosticada e além disso sugere-se seguimento periódico clinico e com exames de imagem.

8 Dicas para Dormir Melhor!

Uma vida saudável é baseada em 3 pilares fundamentais: uma boa alimentação, descanso adequado e prática de atividades físicas regulares!

Uma boa noite de sono é vital para repor as energias!
Dicas para Dormir Melhor
 
Por isso seguem medidas simples para combater a insônia!
 
  1. Deite-se somente quando estiver com sono. Se você não consegue dormir, é melhor levantar-se e dedicar-se a outra atividade durante um tempo. Volte para a cama somente quando tiver sono.
  2. Use a cama e o quarto apenas para dormir, não para outras atividades como assistir televisão ou ler.
  3. Estabeleça uma rotina de sono: procure deitar e levantar sempre em um mesmo horário, todos os dias. Isso é importante, pois fará com que o seu corpo crie uma rotina de sono.
  4. Faça exercício, por pouco que seja.
  5. Evite bebidas estimulantes como chá ou café, antes de ir dormir.
  6. Não beba grande quantidade de líquidos antes de dormir para evitar visitas ao banheiro durante a noite que interrompam o seu sono.
  7. Tome os medicamentos prescritos para dor ou para dormir no mesmo horário todas as noites
  8. Relaxe antes de dormir: um banho, uma leitura agradável ou beber um chá quente são opções que facilitam na hora de descansar e ter uma longa  e tranquila noite de sono

Alguns casos de insônia merecem tratamentos mais rigorosos. Por isso, o ideal é sempre procurar ajuda médica especializada!

7 atividades físicas que ajudam a prevenir o câncer!

 

O número de mortes no Brasil por conta do câncer aumentou 31% desde 2000. Hoje, o câncer é a segunda causa de morte no país, superado apenas por doenças cardiovasculares. Se estima que apenas 5 a 10% das neoplasias possuem causa genética, sendo em 90 a 95% relacionados a outros fatores ambientais e ao estilo de vida.
Um estilo de vida saudável pode prevenir o cancer em até 40% dos casos!
 
Uma das mais potentes armar em prevenir o cancer são os exercícios físicos.
 Captura de Tela 2017-12-12 às 03.10.20
 
 
 
1486503765-bodybuilding-dumbbell-health-sports-fitness-weight_81281-2Musculação:
Com o avanço da idade tendemos a perder massa muscular e ganhar gordura. A musculação evita essa perda natural de massa muscular, previne a osteoporose e proteje as articulações. Em pacientes que tiveram cancer e usam hormonoterapia, a musculação é um grande aliado em prevenir o cancer e amenizar os efeitos colaterais do tratamento na perda de massa muscular e óssea.
 
SJ_Icon_Private_Yoga_OrangeIoga:
A ioga, através dos seus três componentes principais (posturas, respiração e meditação) pode ajudar a promover vários parâmetros da saúde física (aptidão, equilibrio, flexibilidade e força), saúde mental (estresse e ansiedade) e uma série de sintomas relacionados à saúde (por exemplo, dor) e um numero de outras condições relacionadas a saúde. Além de prevenir o cancer a ioga é um grande aliado no combate aos sintomas relacionados ao tratamento.
 

swimmingNatação:

Muitas atividades físicas podem ajudar a prevenir o cancer. A natação oferece uma vantagem única, pois associa o exercício cardiovascular com o desenvolvimento muscular em um ambiente de pouco impacto. Outro dado importante é que a vitamina D previne o cancer, pessoas que fazem natação tem valores maiores de vitamina D devido a exposição solar.
 
athleticsCorrida:
A prática de exercícios aeróbicos regulares de moderada a alta intensidade diminuem significativamente o risco da formação de pólipos no intestino, do cancer de intestino e rim. Estudos também evidenciaram que mulheres que praticavam exercícios aeróbicos como a corrida, tinham menos de 25% de chance para desenvolver cancer de mama. A corrida ajuda a manter um peso adequado prevenindo assim o excesso do hormônio estrogênio produzido também pelo tecido adiposo. O excesso de estrogênio pode aumentar o risco de cancer de mama ou de sua recidiva.
 
bicicletaPedalar:
Andar de bicicleta está entre as melhores atividades que podem ser feitas diariamente e também uma das melhores para os membros inferiores. Pedalar previne o cancer por ajudar a controlar o peso. Em comparação aos sedentários, quem anda de bike com frequência apresenta probabilidade menor de ter cancer e 46% menor de desenvolver males cardiovasculares.
 
bf9b3b_d20ed5cf85714181b326d229750c0975~mv2Hidroginástica:
Uma boa opção de atividade física para as pacientes que estão tratando de cancer é a hidroginástica, que além de trazer bem-estar, promove o condicionamento cardiovascular e muscular, trabalha a coordenação motora, estimula a agilidade e traz a sensação de relaxamento. A hidroginástica é uma atividade que não gera impactos, por esse motivo, não existe uma restrição para quem deseja praticá-la.
 
boxingLutas:
A atividades físicas como luta tem como vantagem associar o treinamento muscular aeróbicos em um ambiente com bastante descontração. Assim atividades como judo, karate  ajudam a manter um peso saudável,  prevenindo o cancer, e auxiliam no tratamento de doenças como a depressão e insônia.
 
 
 
 
 
 

Açúcar e Câncer

 

Existe relação entre o açúcar e câncer?

 
Todas células, cancerígenas ou não, utilizam a glicose como fonte de energia, ou seja, todas são “alimentadas” por este açúcar. A glicose é tão importante para o funcionamento do organismo que este tem uma série de estratégias para manter os níveis de açúcar no sangue (glicemia) normais.
 
açúcar e câncer
A glicose é um nutriente obtido a partir dos carboidratos encontrados em alimentos como doces, frutas, cereais, arroz, milho, farinha, macarrão, pão e em vegetais que contêm fécula como batata, mandioca ou inhame.
 
Além da origem alimentar, essa energia pode ser fornecida às células através da produção pelo próprio organismo, a partir da proteína, quando não se incluem hidratos de carbono na dieta.
 
Muitos doentes oncológicos evitam os carboidratos, pois pensam que o açúcar pode promover o crescimento das células cancerígenas. Essa atitude é contraproducente, quando se pretende a manutenção de um adequado estado nutricional e quando se está perante os efeitos secundários do cancer e dos tratamentos. A própria eliminação dos carboidratos da alimentação é geradora de stresse, o que proporciona a ativação de mecanismos que aumentam a produção de hormônios que podem elevar a glicemia e prejudicar a função imunitária.

Então por que existe esse boato?

A relação entre açúcar e cancer surge por via indireta. O consumo de grandes quantidades de alimentos ricos em açúcar pode significar uma dieta excessiva em calorias, favorecendo o aparecimento de excesso de peso/obesidade. É esse excesso de gordura que se relaciona com o aumento considerável do risco de diversos tipos de cancer.
 
Outro fator que pode ter contribuído, foram dados de estudos de dietas cetogênicas (dietas com menos de 20g de carboidrato por dia)  em casos de tumores cerebrais. Contudo, os estudos estão em andamento e ainda não há conclusões suficientes suscetíveis de considerar este tipo de dietas como adequadas em oncologia, até porque também apresentam desvantagens (sabor, aceitabilidade, possível perda de peso).
 
A alimentação do doente oncológico deve ser baseada nos princípios de uma alimentação saudável, ou seja, equilibrada, variada e completa. Além disso, a atividade física tem um importante papel na estabilização dos níveis de açúcar sanguíneos, devendo a sua prática e continuidade ser incentivada.
 

Glicose – Nossa fonte de energia!


Procurar na internet o termo “açúcar e câncer” nos leva a textos com frases como “açúcar alimenta o câncer”ou “açúcar principal comida do câncer”.
 
A idéia do açúcar ser o combustível das células cancerosas é uma maneira extremamente simplista de explicar uma biologia celular complexa.
 
Para começar temos que entender o que é realmente o açúcar.
O açúcar vem de diferentes formas. A forma molecular mais simples é a glicose e a frutose. Essas moléculas simples podem se juntar e formar as moléculas que chamamos de carboidratos. Os carboidratos são nossa principal fonte de energia.
 
A forma que conhecemos o açúcar, é formado por cristais de glicose e frutose. O açúcar branco que conhecemos e uma das formas mais simples dos carboidratos. Este açúcar é refinado, ou seja ele é processado de sua fonte natural. No refinamento, aditivos tornam o produto branco e delicioso. O lado ruim é que esse processo retira vitaminas e sais mineirais, deixando apenas as “calorias vazias” (sem nutrientes). Alimentos não processados também podem ser ricos em açúcar como o mel.
 
Os polisacarídeos são compostos que possuem varias cadeias de glicose unidos. Alimentos como arroz, macarrão, pão, vegetais como batata, podem não ser doce mais são ricos em açúcar. Estes são carboidratos mais complexos.
 
A glicose é o combustível essencial de todas as nossas células. Se bebemos ou comermos alimentos ricos em carboidratos simples como o açúcar este vira glicose cai no sangue e pode ser usado diretamente por todas as nossas células como fonte de energia. Porem se comermos carboidratos mais complexos como massa ou pão, as enzimas do nosso sistema digestivo irão quebrar esses alimentos em moléculas de glicose que irão ser absorvidas pelo sangue e usadas como fonte de energia de forma mais lenta que o açúcar.

E se pararmos de comer carboidrato?

Se não comermos carboidratos, o nosso organismo vai dar um jeito de quebrar gordura e proteína para formar glicose. Nossas células precisam de glicose para viver!
 

Açúcar e Câncer:

açúcar e cancer
As células do câncer podem se multiplicar mais rápido se usarmos uma grande quantidade de energia como açúcar?
As células do câncer para se multiplicarem elas precisam de muitos fatores além do açúcar  estímulos hormonais, aminoácidos, gorduras e oxigênio. Não é só de glicose que ela precisa. 
 
O mito do açúcar e o câncer nasceu da hipótese de se cortarmos todo o açúcar da dieta as células do câncer parariam de crescer. Infelizmente não é tão simples. Todas as nossas células saudáveis, precisam de glicose também, e não existe maneira de dizermos ao nosso corpo de entregar apenas a glicose as células normais e não entregar as células do câncer.
 
Seguir dietas extremamente restritivas em carboidratos pode atrapalhar nossa saúde à longo prazo. Eliminar esses alimentos pode ser prejudicial, pois eles são importantes fontes de fibras e vitaminas.
 
Então se o açúcar não causa cancer porque temos que nos preocupar?
Cortar o açúcar da dieta não ajuda a tratar o câncer, e o açúcar não leva diretamente ao câncer. Então, por que devemos desencorajar as pessoas a usarem o açúcar como principal fonte de energia? 
 
Porque de forma indireta o açúcar pode aumentar o risco de câncer. Comer muito açúcar durante muito tempo pode levar ao sobrepeso. Evidências científicas mostram que o sobrepeso ou obesidade aumenta o risco de 13 tipos diferentes de câncer. A obesidade após o tabagismo é a segunda maior causa evitável de câncer.
 
A mensagem que devemos levar para casa é que banir o açúcar não vai impedir a replicação das células cancerosas. Porém, podemos reduzir o risco de câncer com escolhas saudáveis. Diminuir a quantidade de açúcar na dieta é um fator importante para mantermos um peso saudável durante toda nossa vida.

Como Funciona o Resfriamento do Couro Cabeludo

O dano que a quimioterapia causa ao folículo capilar pode ser aliviado pelo resfriamento do couro cabeludo..


couro cabeludo
Reduzindo-se alguns graus da sua temperatura imediatamente antes, durante e após a administração da quimioterapia.

Isto, por sua vez, reduz o fluxo sanguíneo aos folículos capilares, o que pode prevenir ou minimizar a queda de cabelo.

O resfriamento causa a vasoconstrição, que demonstrou a redução do fluxo sanguíneo no couro cabeludo em 20-40% do normal resultando em menor entrega de drogas quimioterápicas nos folículos capilares.
celulas
A taxa de difusão da droga através da membrana plasmática é reduzida ao ser resfriada e, assim, menores doses efetivas da droga conseguirão entrar nas células.

A divisão celular é orientada pelo metabolismo, cujo processo é desacelerado pelo resfriamento.
A diminuição da atividade metabólica das células no folículo capilar, também pode causar uma redução na citotoxicidade das drogas quimioterápicas localizadas no couro cabeludo.

Alguns medicamentos de quimioterapia são mais propensos do que outros para causar a perda de cabelo. Pergunte ao seu médico sobre a possibilidade de perda de cabelo antes de iniciar o seu tratamento, então você estará preparado e saberá o que você pode esperar. 

O que é Resfriamento do Couro Cabeludo?

O que é Resfriamento do Couro Cabeludo?



O Resfriamento do couro cabeludo é um tratamento simples que pode prevenir a queda de cabelo causada por certas drogas quimioterápicas.

resfriamento capilar
resfriamento

O uso do resfriamento do couro cabeludo provou ser uma técnica eficaz no combate à queda de cabelo causada
pela quimioterapia e pode resultar no alto nivel de retenção ou na preservação completa do cabelo. 



Para pacientes, isso significa a oportunidade de recuperar algum controle, manter sua privacidade e encorajar atitudes positivas para o tratamento. 

Entenda porque a quimioterapia faz o cabelo cair


A Quimioterapia tem como alvo todas as células de divisão rápida no organismo.

 
O Cabelo é o segundo mais rápido em divisão celular e esta é a razão para que várias drogas quimoterápicas causem a queda do cabelo. Os folículos capilares em fase de crescimento são atacados, resultando na queda de cabelo em aproximadamente duas semanas após o início do tratamento com quimioterapia.

quimioterapia 

O principio básico da quimioterapia é danificar o processo mitótico e metabólico em células cancerosas. Por este principio, os foliculos capilares são afetados, pois mais de 90% deles estarão na fase de crescimento ativo (anágena).

A quimioterapia induz a apoptose de queratinócitos e a regressão do foliculo capilar, assim como compromete os processos metabólicos e mitóticos na fase anágena dos foliculos capilares, o que resultará na alopecia rápida e extensa.

Qual a idade ideal para o homem começar a fazer os exames de rastreamento?

medical_checklist-512Há ainda muita controvérsia referente à idade de inicio do rastreamento do câncer de próstata. Então, qual a idade certa? 

Este assunto deve ser discutido com seu medico e analizado caso a caso. Recomenda-se o rastreamento para homens com idade acima dos 50 anos e expectativa de vida acima de 10-15 anos.

Sugere-se que os homens sejam anualmente através do toque retal e de dosagens sanguíneas de PSA (antígeno prostático específico). Aqueles com história de câncer de próstata na família acometendo parentes de primeiro grau (pai e irmãos) e de homens negros devem inicial essa avaliação aos 40 anos, devido ao maior risco. 

Alimentação durante e após o tratamento

T_0217_eating-healthily_179013608_AAlimentação:
É importante que pacientes com câncer mantenham um peso saudável e tenham uma alimentação nutritiva. No entanto, os efeitos colaterais dos tratamentos podem incluir alterações no apetite e perda ou ganho de peso. Para evitar que isso prejudique a saúde, é preciso seguir algumas recomendações:
 
  • Fique de olho no peso: perda excessiva de peso pode significar que seu corpo não está recebendo os nutrientes e as calorias que precisa para se recuperar da doença e funcionar perfeitamente. Sobrepeso e obesidade também comprometem a saúde e devem ser evitados.
  • Preste atenção aos nutrientes: seu corpo precisa estar o mais saudável possível, então uma alimentação balanceada é essencial e deve incluir proteínas, carboidratos, gorduras, fibras e água. Consulte um nutricionista sobre a eventual necessidade de suplementos.
  • Mantenha-se ativo(a): atividades físicas leves, como caminhadas, são indicadas para evitar perdas musculares e ganho de gordura corporal (mesmo que não alterem o peso).
  • Faça pequenas refeições ao longo de todo o dia, ao invés de poucas refeições grandes. Certifique-se de que está ingerindo as calorias necessárias.
  • Alguns alimentos podem parecer sem sabor ou enjoativos durante esse período, causando sensibilidade no estômago. Converse com um nutricionista sobre as possíveis substituições.
  • Atente-se a alguns detalhes: lave bem as mãos e os alimentos; armazene adequadamente as sobras e os ingredientes; evite alimentos pesados e de difícil digestão.

Você sabia que ouvir música faz bem à saúde?

Você sabia que ouvir música faz bem à saúde?
 
Além de fazer bem à alma, ao coração e a mente, ajuda a manter o cérebro mais ativo.

Promove alegria ou relaxamento e também é capaz de trazer recordações de bons momento.

Estudos sobre o benefício da música:
Diversos estudos, como o da American Music Therapy Association (AMTA, EUA) e o da World Federation of Music Therapy (WFMT, em Gênova, na Itália), mostram que a música traz benefícios para a saúde como um todo, além de influenciar diretamente na vida social das pessoas.

Os pesquisadores revelaram que, de acordo com o ritmo musical que a pessoa escuta e a situação a que ela está submetida, a respiração fica mais ofegante ou tranquila e isso se reflete na pressão sanguínea, que fica mais ou menos forte. Isso previne doenças cardíacas.