O que é o Carcinoma Ductal Infiltrante de Mama

O que e carcinoma ductal infiltranteO Carcinoma Ductal Infiltrante de Mama é o tipo mais comum de câncer de mama invasivo, representando aproximadamente 80% dos casos.

As células ductais cancerosas nascem nos ductos mamários (ductos por onde drena o leite durante a amamentação). Nos carcinomas invasivos as celulas cancerosas atravessam o ducto e invadem o estroma, tecido em volta do ducto. Essas células possuem a capacidade de invadir outros tecidos e crescer tanto localmente quanto de se espalhar pelas veias e vasos linfáticos. E importante lembrar que o carcinoma ductal infiltrante difere do carcinoma situ, o carcinoma in situ não atravessa a barreira do ducto e não tem potencial, por estar contido, de formar metástases.

Diagrama mostrando carcinoma ductal in situ (DCIS)

Os subtipos dos carcinoma ductais são:

• Carcinoma tubular (geralmente menos agressivo); • Carcinoma medular (geralmente afeta mulheres mais jovens, pode estar associado a mutações predisponentes ao câncer); • Carcinoma mucinoso (geralmente acomete mulheres após a menopausa, associado a melhor prognóstico); • Carcinoma papilífero (frequentemente associado a CDIS, geralmente de bom prognóstico); • Carcinoma cribiforme (geralmente de bom prognóstico).
O carcinoma ductal invasivo tem de ser caracterizado quanto à presença e quantidade de receptores hormonais (receptor de estrógeno e progesterona) na superfície das células, além do grau de expressão da proteína Her-2. Esta caracterização é feita pela técnica denominada de imunohistoquímica. Em relação à caracterização da proteína Her-2, pode se fazer necessário teste adicional, denominado de FISH, que consiste em um teste molecular para se ter certeza em relação à expressão de Her-2. A importância do resultado da pesquisa de receptores hormonais e Her-2 está relacionada à possibilidade de se utilizar terapias-alvo.

12 comentários sobre “O que é o Carcinoma Ductal Infiltrante de Mama

  1. tenho cancer na mama direita carcinoma ductal infiltrante,SOE(C50-) estou na sexta quimoterapia ainda vou fazer radio.gostaria de saber mais sobre a minha doença

  2. Achei a matéria interessante, pois diz respeito ao meu caso, retirei a mama esquerda por carcinoma infiltrante. Tratei com rádio e faço uso de Astrazanol 1mg.
    Gostaria de saber qual o prognóstico. Fiz a retirada do núcleo deixando pele e mamilo. A primeira cirurgia foi no início de 2014 cirurgia para remissão do câncer, e em 2015 fiz o mesmo tipo de cirurgia na mama contraparte tal medida preventiva.
    A possibilidade de se tomar o antihormonio depois dos cinco antes como uma segurança “emocional” digamos assim?!

  3. Olá boa tarde, li a matéria e gostei muito de obter mais informações sobre o carcinoma infiltrante, gostaria de saber quais clínicas tem o teste adicional FISH imunohistoquimica lembrando Brasílial DF Não estou encontrando clínicas de análise para fazer. Desde já agradeço

  4. Estou com câncer de mama(carcinoma infiltrante da mama esquerda e nódulo na mama direita) e foi diagnosticado em abril de 2017 e ainda não fiz a cirurgia. Estou sentindo dores no local do nódulo cancerígeno da mama esquerda que vem aumentando de tamanho.

    1. Terezinha é importante neste caso procurar uma equipe de saude para programar seu tratamento com cirurgia ou dependendo do caso quimioterapia antes.

  5. Ana Carolina

    Boa Tarde
    Observei que as mulheres americanas são muito bem informadas sobre o câncer de mama. Elas teem consciência da absoluta necessidade da detecção precoce e, por isso,
    nunca deixam de se submeter a uma mamografia, pelo menos a cada dois anos. Infelizmente no Brasil isso não ocorre. Atendo com frequência mulheres com carcinoma avançado, cuja anormalidade elas próprias perceberam há muitos meses. Por isso considero extremamente valiosa tua publicação. Parabéns.
    Dakir

    dakir@serdil.com.br

    1. Tem cura. Mas o tratamento e a chance de cura vai depender de diversos fatores como tamanho do tumor, presença de linfonodos acometido, se tem receptores hormonais HER2 etc.. ë importante que converse na consulta medica e tire todas as duvidas. O tratamento vai depender também destes fatores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *